Junho Violeta: um mês dedicado à conscientização do combate à violência contra a pessoa idosa

  • Em 17 de junho de 2022
Em 15 de junho é celebrado o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, data que alerta para a responsabilidade de cada um na construção de uma sociedade que respeite e garanta os direitos dos 60+.

Você sabe identificar um episódio de violência contra os idosos? Conhece os canais de denúncia? Por mais incrível que pareça, a violência contra a pessoa idosa é uma realidade e precisamos combatê-la.

Infelizmente desde que iniciou a pandemia, houve um aumento expressivo do número de denúncias. Dados do Disque 100 (Disque Direitos Humanos) revelam que, só no primeiro semestre deste ano, mais de 33,6 mil casos de violações de direitos humanos foram registrados contra o idoso no país.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), situações de violência contra a pessoa idosa são ações ou omissões cometidas uma vez ou muitas vezes, prejudicando a integridade física e emocional da pessoa, impedindo o desempenho de seu papel social. Segundo dados do Disque 100, mais da metade das denúncias de violência contra idosos apontam que os episódios acontecem no ambiente doméstico da vítima; grande parte dos suspeitos de cometer a violência são filhos ou netos. Por isso, valorizar o processo de envelhecimento e fortalecer as redes de apoio são pontos essenciais para promover o exercício coletivo do cuidado e da segurança nas relações cotidianas.

A nossa ferramenta para enfrentar, sensibilizar, coibir e amenizar esse sofrimento é a conscientização da sociedade como um todo. Este é o objetivo do Junho Violeta, um mês de reflexões e de celebração do Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa (15/06), criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e a Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa no ano 2006. A data alerta para a responsabilidade de cada um na construção de uma sociedade que respeite e garanta os direitos desse público.

Situações de violência

Considerado crime, esse tipo de violência acontece de diversas formas, desde a física até a psicológica. Para garantir os direitos das pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, foi criado o Estatuto do Idoso (Lei 10.741/2003).

Você sabe identificar um episódio de violência? Conheça algumas situações:

• Violência psicológica contra pessoa idosa é crime: gritar, xingar, discriminar, menosprezar, agir com preconceito ou humilhar levam a pessoa idosa à tristeza e consequentemente à depressão.

• Abandono de pessoas idosas também é crime: todos nós temos histórias de vida próprias e trajetórias singulares que criam nossa identidade. Com os idosos não é diferente. Mas, muitas vezes, eles são privados do convívio com a família. Seja pelo descaso proposital, seja por ser forçado a ir para uma instituição ou casa de repouso.

• Abuso econômico de pessoas idosas é crime: administrar as finanças na velhice pode ser uma dificuldade, sobretudo dentro de casa. Mais da metade dos crimes de abuso econômico de idosos envolve os parentes mais próximos, como filhos, netos e sobrinhos que se apropriam dos recursos e bens por meio de intimidação ou mesmo sem consentimento.

Como denunciar

As denúncias de violência contra a pessoa idosa podem ser feitas pelo Disque 100 (Disque Direitos Humanos). O atendimento é realizado diariamente, 24 horas por dia, inclusive aos fins de semana Denúncias também podem ser feitas pelo aplicativo Proteja Brasil (disponível para smartphones), para a Delegacia Online da Policia Civil do seu estado e também ligando para a Emergência Policial – DISQUE 190 – Polícia Militar.

Protocolo de Rede Intersetorial de Atenção à pessoa idosa em situação de violência 

Também reforçamos o convite do Ministério Público de SC (MPSC) para o lançamento do Protocolo de Rede Intersetorial de Atenção à pessoa idosa em situação de violência no Estado de SC (PISC). O documento elaborado pelo Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos do MPSC, com o apoio da Procuradoria-Geral de Justiça, será um instrumento teórico e prático referencial para a elaboração das políticas municipais de proteção à pessoa idosa em Santa Catarina, com a finalidade de servir como referência para a implantação do atendimento integral e humanizado à pessoa idosa em situação de violência na rede municipal.

Fonte: Sesc

0 Comentários

Leave Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

rararararararafvcx vzxcsdzxvc